A publicidade e as redes sociais

publicidade redes sociais

Através da internet os negócios encontraram novas formas de se conectar a seus consumidores de uma forma que nunca se imaginaria no passado. No entanto, o comportamento das pessoas online mudou radicalmente nos últimos anos com o surgimento de plataformas que possibilitam novas formas de interação com o conteúdo e os usuários que estão disponíveis. É imprescindível que as marcas compreendam essas mudanças para comunicar de forma mais efetiva.

Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat, dentre outros exemplos, nada são além de plataformas digitais que permitem que seus usuários interajam entre si, compartilhando mensagens e conteúdo que consideram relevantes para aqueles a seu redor. E nesse universo de ambientes cada vez mais focados na experiência do usuário, não faz sentido que as marcas continuem sendo intrusas.

Gritar sobre o seu produto e esperar que escutem não funciona mais quando esse grito vem em meio a um mar de informação relevante. A audiência não está mais sentada esperando o conteúdo chegar como na televisão, ela está navegando através de páginas, plataformas e mensagens; procurando informação e entretenimento para montar a sua própria programação. Nesse contexto não há espaço para o que não é de fato relevante e interessante, e isso inclui a sua marca.

Para solucionar esse problema, muitas marcas recorrem ao Marketing de Conteúdo, estratégia que vem ganhando importância e sendo alvo de discussões centrais no meio publicitário desde que, em 2002, o Festival de Cannes inaugurou a categoria “Titanium” para premiar a série de filmes “The Hire”, da BMW. Trata-se de uma possibilidade que parte de um raciocínio muito simples: ao invés de correr atrás dos clientes todos os dias pelo resto da vida gritando mensagens que muitas vezes não são interessantes, as marcas começam a produzir conteúdo relacionado a seu universo de atuação e utilizá-lo como uma “isca”, trazendo os consumidores para suas plataformas através de assuntos com os quais eles realmente se importam. A ideia é que ele esteja em busca de algo, acabe encontrando você, associando aquele conteúdo relevante a sua marca e seus produtos e, quem sabe, ainda tenha vontade de mostra aquilo para seus amigos e conhecidos. Ao invés de interromper a navegação do usuário, você faz com que ele queira ter a sua marca nessa navegação.

É através de conteúdo que grandes marcas tem impactado e se conectado a seus consumidores. Não importa se o formato é vídeo, texto, áudio ou o que quer que seja; o que importa é entender o que o seu consumidor procura para poder ser relevante para ele.